Notícias

18/02/2013

TELEMARKETING - SOBRAM VAGAS PARA OPERADORES

Uma profissão que não exige experiência, com carga horária máxima diária de seis horas e costuma ser a porta de entrada do mercado de trabalho para o jovem em busca do primeiro emprego, está com vagas em alta em Goiânia. O operador de telemarketing ou teleatendimento é um profissional cobiçado por empresas, especialmente de telecomunicação.

Com o intuito de fisgar mais interessados pelas vagas, as empresas estão incorporando à remuneração, benefícios como assistências médica e odontológica, vales alimentação e transporte, além de auxílios creche e à criança especial. Somente em Goiânia, atualmente, existem pelo menos 800 vagas disponíveis. Embora não exija experiênci, o profissional que se sentir atraído pela oferta de trabalho precisa provar habilidade em digitação e conclusão do segundo grau. O perfil também requer bons vocabulário e dicção, além de desenvoltura e dinamismo.

Para a supervisora de teleatendimento do Senac, Eloá Ribeiro Marcelino, o emprego é uma boa oportunidade para o jovem que pretende conciliar emprego e estudo. “Como tem uma carga horária reduzida é uma forma de alguns conseguirem custear os próprios estudos”, diz.

Mesmo recebendo treinamentos constantes, proporcionados pelas próprias empresas, ela lembra que a profissão exige bastante criatividade, já que o entrevistado lida com imprevistos. “Os clientes questionam situações que estão fora do roteiro do profissional e ele precisa entender os procedimentos para conseguir resolver a situação”, ressalta.

Situações corriqueiras do cargo requerem traquejo do profissional. Ele precisa saber resolver, ao mesmo tempo, as necessidades do cliente sem burlar normas da empresa. Essas competências fazem com que o operador de telemarketing ou teleatendimento, sejam consideradas profissões estressante e, por isso, com alta rotatividade. Eloá ressalta que o profissional deve aprender não absorver as reclamações dos clientes. “Ele tem de lembrar que a reclamação é sobre a empresa. Se levar para o lado pessoal acaba adoecendo”, diz. Além disso, o grande fluxo de atendimentos, disponibilidade para trabalhar em horários e dias alternativos e exigências de cumprimento de metas contribuem para a alta rotatividade.

Esse último fator pode ser a mola propulsora para o jovem ambicioso. De acordo com o supervisor do curso de telemarketing do Senac, Hádamo Ferreira de Souza, o profissional que sobressai e consegue cumprir as metas impostas pela empresa, geralmente, é reconhecido e galga melhores salários e cargos. “Se não houver qualificação profissional ele fica frustrado. Mas se tiver uma qualificação continuada, ele pode crescer na empresa”, informa.

Para tanto, Hádamo conta que o Senac ministra dois cursos. O curso de capacitação de operador de telemarketing, com carga horária de 180 horas e o de aperfeiçoamento de telemarketing, com carga horária de 60 horas. “Por meio de programas do governo, sazonalmente oferecemos cursos gratuitos”, diz. Os interessados devem entrar em contato com a instituição pelo telefone 3219-5180.

O curso abrange temas voltados para a cidadania, meio ambiente, perspectiva de mercado, empreendedorismo e fundamentos em marketing, antes de partir para a fase técnica do teleatendimento. “Depois partimos para o atendimento prático supervisionado”, explica. Em suma, diz, todos esses quesitos são fundamentais para que o profissional mantenha equilíbrio emocional.

Fonte:Site O Popular  

Venha fazer parte da nossa equipe de vencedores. Cadastre seu currículo.

Copyright © 2011-SindInformática - Todos Direitos Reservados

Avenida Anhanguera, nº 5674, sala 401, 4º andar - Setor Central - CEP: 74.043.011 - Goiânia/GO. Fone: (62) 3942.9499 | (62) 3942.9599

Produzido por